20091129

Turn off tomorrow,
Float downstream for just today.
It is believing.

O sudoeste
Trará chuva forte,
Termos functivos.
Pedaços de gramática
Cristalizada.

20091128

Resenhatum sunt,
Bonus gradus habere.
Latinvs Hai cai.
Castanha vista.
Tartaruga marinha:
Domesticada.
Verde listrado;
Branco acolchoado;
Rosa aos pés.

20091127

Encontrei Os Sertões,
Na Estante virtual,
Por onze Reais. 
Trabalho duro,
Muitas matérias:
Última hora.

20091126

Digitar tudo.
Viagem de bicicleta,
Estradas Reais.

20091123

O estar por aqui,
Querendo estar alí:
Guimarães Rosa.
Sementes várias,
 O Flamboyant florido,
Delicadeza.
“Por que? Diz-que-direi ao senhor o que nem tanto é sabido: sempre que se começa a ter amor a alguém, no ramerrão, o amor pega e cresce é porque, de certo jeito, a gente quer que isso seja, e vai, na idéia, querendo e ajudando; mas, quando é destino dado, maior que o miúdo, a gente ama inteiriço fatal, carecendo de querer, e é um só facear de surpresas. Amor desse, cresce primeiro; brota é depois. Muito falo, sei; caceteio. Mas porém é preciso. Pois então. Então, o senhor me responda: o amor assim pode vir do demo? Poderá?! Pode vir de um-que-não-existe? Mas o senhor calado convenha. Peço não ter resposta; que, se não minha confusão aumenta. (...)”




ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2006.


20091120

Sete da manhã,
Visto o traveseiro
Pra beijar-te em sonho.
Escadaria
Sobe e desce parada:
Montanha Russa.
Pata-de-vaca
Explodindo sementes
Pura doçura.
Escadaria

Iluminada
Lua tal qual uma taça.
Sorriso lindo!

20091117

                        Sonnet 18

Shall I compare thee to a summer's day?
Thou art more lovely and more temperate:
Rough winds do shake the darling buds of May,
And summer's lease hath all too short a date:
Sometime too hot the eye of heaven shines,
And often is his gold complexion dimm'd;
And every fair from fair sometime declines,
By chance or nature's changing course untrimm'd;
But thy eternal summer shall not fade
Nor lose possession of that fair thou owest;
Nor shall Death brag thou wander'st in his shade,
When in eternal lines to time thou growest:
   So long as men can breathe or eyes can see,
   So long lives this and this gives life to thee.

William Shakespeare




Roda Rodete Rodiando
Chico Science e Nação Zumbí
Posso ver do mar
Pradaria florida.
Encantadora!
O evidente:
Sempre à nossa vista,
Tão dificil ver.
Eternidade:
Guerreiro terracota
Pronto pra luta.
Batatas fritas,
Conversa afinada,
Água tônica.
Cabelos soltos,
Queixo com mil covinhas:
Encantadora!
Perdendo asas,
Formigas tremem muito:
Estabanadas.

20091115

À Bolognesa.
Primitiva cozinha
Feita à faca.

Como pássaro:
Voos, lifts, térmicas
Olhar urubús.

Morre autor,
Depois brinca de duplo!
Tudo maluco...

Imóvel tempo
Sempre movimentado.
Diacronia.

20091114

Cabelos presos,
Desejos reprimidos
Óculos de grau.


KANAGAWA OKI NAMI URA
Katsushika Hokusai
1832

...

A Grande Onda,
Maremoto Hokusai,
Em Kanagawa.

Códice Costa Matoso e Revista Varia História


Ninhos de João Palito - Estrada Real, roteiro dos diamantes - MG
Uma carta verde
Que causou o apagão!!!
Subestimaram.

20091112

Mas que loucura!
Rir da própria desgraça.
Nada, peixinho.

20091107

As Aventuras
De Raul Seixas na
Cidade de Thor.




20091103

Um Bull Terrier
Vai ser o meu cachorro.
O nome não sei.
Beber um café
cujo sabor é tão bom
Custa bem caro.
Estudar "cujo",
Que tarefa ingrata!
Mais um cigarro.

20091101

Billie Holiday,
Dream a Little Dream Of me,
I'll Never Smile Again.
Poema urbano:
Sinal aceso caído
Ainda verde.
Momentânea paz,
Nem isto existe mais!
Helicóptero.
Desenhos toscos.
Chuva com vento forte.
Árvore caiu!
Relógio de sol,
Diga-me que horas são.
Verão, verão...
Banho de sapo
E almoço de cobra.
Lagoa quieta